SC registra primeiros focos do mosquito Aedes aegypti

Estado – Santa Catarina registrou ontem, dia 03 de Janeiro, os primeiros focos do mosquito Aedes, transmissor de enfermidades como dengue, febre amarela e outros. Os primeiros relatos positivos vieram após confirmação laboratorial enviada pelos municípios as regionais de saúde. As cidades com relatos confirmados foram: Balneário Piçarras: 01 foco; Criciúma: 01 foco; Itapema: 08 focos; Joinville: 05 focos; Quilombo: 04 focos; São Carlos: 05 focos; São Miguel do Oeste: 13 focos.

Constatado o resultado positivo para a larva do mosquito aedes aegypti, os trabalhos de eliminação foram iniciados pelas equipes que trabalham na vigilância epidemiológica destas cidades. No verão, é mais comum o relato de focos, devido ao ambiente mais quente e úmido, o que favorece a proliferação das larvas do mosquito.

Independente da estação, a população deve eliminar os ambientes em que o mosquito pode depositar as larvas. Pneus velhos, vasos de plantas e outros, contendo água parada, é o ambiente preferido do mosquito aedes. Dengue, Febre Amarela e Febre do Chikungunya são doenças que podem ser evitadas.


Prevenção

O Aedes aegypti vive de 35 a 45 dias, alimenta-se, reproduz-se e põe ovos durante o dia. As fêmeas do mosquito picam as pessoas, pois precisam de sangue para amadurecerem os ovos. É nesse momento que pode ocorrer a transmissão das doenças, pois as fêmeas podem estar infectadas pelos vírus.

O Aedes aegypti tem como criadouros os mais variados recipientes que possam acumular água parada, domiciliares e peridomiciliares. Os mais comuns são pneus sem uso, latas, garrafas, pratos dos vasos de plantas, caixas d’água descobertas, calhas, piscinas e vasos sanitários sem uso. A fêmea do mosquito pode, também, depositar seus ovos nas paredes internas de bebedouros de animais e em ralos desativados, lajes e em plantas como as bromélias.

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
Mantenha lixeiras tampadas;
Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água.
Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
Mantenha ralos fechados e desentupidos;
Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana;
Retire a água acumulada em lajes;
Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada;
Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.
Para mais informações, procure a Secretaria de Saúde do seu município.

Fontes: Rádio Piratuba FM e DIVE

Outras Notícias

Ana Paula manda carta aberta ao COI falando do absurdo da desvirtuação das competições femininas

SOCIEDADE — A jogadora de vôlei Ana Paula há muito está quebrando o silêncio sobre os absurdos que tomaram conta das ...

Ilha da longevidade: 33% dos moradores têm mais de 90 anos

Um terço dos moradores da Ilha de Icária, na Grécia, têm mais de 90 anos de idade. São vários os motivos que fazem...

Brasileiro descobre remédio barato para curar Zika e evitar transmissão

A equipe de um biólogo brasileiro descobriu que um remédio barato, usado contra a malária há 60 anos, impede camundon...

As pessoas se ofendem com quem é autêntico

“Ser autêntico virou ofensa pessoal. Ou a criatura faz parte do rebanho, ou é um metido a besta.” (Martha Medeiros) ...

Programa da Dengue monitora e controla a presença do Aedes aegypt no município de Capinzal

A Secretaria da Saúde de Capinzal mantém ativo o Programa da Dengue no município. O Programa visa o monitoramente e o...