Te amo e não te amo - Pablo Neruda

"Saberás que não te amo e que te amo posto que de dois modos é a vida,
     A palavra é uma asa do silêncio, o fogo tem uma metade de frio. 
     Eu te amo para começar a amar-te, para recomeçar o infinito
     E para não deixar de amar-te nunca: por isso não te amo ainda.
     Te amo e não te amo como se tivesse em minhas mãos as chaves da fortuna
     E um incerto destino desafortunado.
     Meu amor tem duas vidas para amar-te
     Por isso te amo quando não te amo e por isso te amo quando te amo."


Pablo Neruda

Outras Notícias

Navio Negreiro, Castro Alves – Parte I

“Donde vem? onde vai?  Das naus errantes Quem sabe o rumo se é tão grande o espaço? Neste saara os corcéis o pó levan...

O tempo - Mário Quintana

 " A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.     Quando se vê, já são seis horas!     Quando de vê, já é...